IAMCR 2010

julho 9, 2010

Entre os dias 18 e 22 de Julho de 2010 haverá o Congresso do IAMCR na Universidade do Minho, em Braga. O tema do congresso é “Comunicação e Cidadania – Repensar a Crise e a Mudança”. No evento vou apresentar dois trabalhos. Abaixo, os títulos e os abstracts de ambos.

Between scientists and public: reframing public participation in science through bioethics

Abstract: Discourses and techniques about the relationship between science and the public have remarkably developed in the past four decades. Science communication has become an important issue for the scientific governance. Public confidence in science, decision-making and support to democracy have changed the predominance of a top-down communication model, from scientists to public, to a more participative one – the Public Engagement with Science (PES). The Institute of Bioethics at Portuguese Catholic University, in Oporto, is doing research in the role of science in society issues and the aim of this paper is to discuss the relevance of Bioethics to improve PES. The bioethical issues seem to draw people’s attention to certain scientific facts, confronting them with the consequences of science and improving their skills in deliberating on scientific issues. Moreover, ethics influences the way one understands public engagement, ‘scientific citizenship’ or ‘science governance’. The role of ethics is not to re-edit the old fashionable deficit perspective which usually focuses on the impact of science and technology from the perspective of non-experts. Ethics is a theoretical and practical reference for changing the science-making in the near future, and it makes us consider the public as playing a more important role than that of mere spectators with lack of scientific knowledge or with emotional concerns. The ethical reflection could redefine the non-experts place in the context of science, involving people with science, making them not simply aware of scientific issues but also involved in the process of decision-making. On the other hand, bioethics can also contribute to the participation of scientists in the ethical reflection that takes place outside the labs, broadening their role as citizen scientists.

Obesity and poverty in the media: a case study from a Brazilian newspaper

In the last decades obesity has become one of the main concerns in public health. According to WHO by 2015 there will be 700 million obese adults. This scenario reflects on news-making, particularly the way the media continuously stresses the problem of obesity, considered a serious illness, even a world epidemic. Furthermore, this issue leads to the socioeconomic apparatuses or dispositifs of risk control. These dispositifs are expressed by individual practices of self control towards a larger emphasis on minimum intervention of State. In Brazil, the statistics show that overweight and obesity have also grown significantly. Moreover, poverty, a social problem earlier linked to hunger and underweight, is now one of the faces of obesity in that country, a scenario not so different of rich countries. The relationship between obesity and poverty is related to a kind of scarcity of some nutritional components, access and knowledge of what is healthy or unhealthy. Also, there is a scarcity of options in the circumstances that making choices is considered an essential condition for controlling obesity. The purpose of this paper is to present some conclusions of my doctoral thesis aimed at researching the role of power dynamics in constructing the relationship between obesity and poverty as legitimate discourse by the media, even as a legitimate problem more important than fighting hunger in Brazil. The study was made through the analysis of 65 news items concerning the relationship about obesity and poverty and published in the biggest Brazilian newspaper, Folha de São Paulo, from 1996 to 2005. It was significant that among these 65 news items, 48 – i.e. more than one third – were published between 2003 and 2005.


Capítulo no livro “Maços na Gaveta”

abril 6, 2010

No dia 17 de setembro de 2009 foi lançado na Bienal Internacional do livro, no Rio de Janeiro, o livro Maços na Gaveta, organizado pela historiadora Beatriz Kushnir. No livro há um capítulo meu intitulado “Campo jornalístico, campo da saúde e racionalidades políticas a partir do estudo de caso de um intelectual-jornalista”, no qual eu analiso a posição do médico brasileiro Dráuzio Varella a partir de seus artigos como colunista no diário Folha de São Paulo.

Varella tem função de médico e jornalista ao mesmo tempo: ele atravessa o discurso biomédico por um modo de dizer objetivo e direto do jornalista – muitas vezes despreocupado com a autoria de quem diz através dele – e ‘lúdico’ e ‘brincalhão’, por vezes sarcástico, de suposto ‘educador em saúde para as massas’. Enquanto intelectual-jornalista o médico ratifica certa ‘ordem estabelecida’: ele sempre fala segundo um ponto de vista radicalmente evolucionista.

Maços na Gaveta reúne análises sobre os Media e é composto por 15 artigos. Seu propórito é divulgar as inúmeras reflexões que não conseguem chegar ao público leitor. Por isto o livro ter recebido esse título. A iniciativa foi fruto do circuito de trocas que o Seminário Temático “História e Comunicação”, coordeno por Beatriz na Anpuh, proporcionou nestes cinco anos de existência.


VI Sopcom

abril 24, 2009

Um pouco antes de terminar uma estratégica licença-maternidade, fui à VI Sopcom/VIII Lusocom, na seção temática Comunicação e Ciência coordenada por Anabela Carvalho e Fernando Cascais. A comunicação foi de autoria coletiva, mas apresentada por mim. Tem a ver com a actual investigação em que estou inserida na Universidade Católica Portuguesa.

O que é realmente lamentável é que muita gente desta seção acabou não fazendo a comunicação. Seu tema, apesar de muito amplo, é paradoxalmente restrito no que se refere ao interesse dos investigadores em Ciências da Comunicação.

Abaixo, o resumo da comunicação ou ver as actas digitais do evento.

Comunicação e ciência a partir das questões éticas das ciências da vida
Mónica Carvalho, Joana Araújo, Joana Cunha Costa, Luís Teixeira e Ana Sofia Carvalho

Resumo: Este trabalho pretende apresentar o projecto de investigação Ciência e Sociedade: promovendo a cidadania através da reflexão sobre as questões éticas das ciências da vida. Trata-se de uma iniciativa conjunta do Gabinete de Investigação em Bioética “GIB e do Centro de Investigação em Ciências e Tecnologias das Artes” CITAR, ambos da Universidade Católica Portuguesa. A partir de um modelo transdisciplinar de investigação, pretende-se partir da reflexão ética sobre as questões suscitadas pelo desenvolvimento das ciências da vida e estudar e desenvolver novas metodologias e ferramentas comunicacionais, audiovisuais e digitais. Em virtude do universo que se quer auscultar; dos temas abordados e do desenvolvimento técnico e metodológico que se pretende promover em comunicação e ciência, pode-se afirmar que se trata de um projecto complexo. O planeamento do projecto constituir-se-á por diversas fases de investigação. Numa fase inicial, pretende-se realizar um inquérito nacional à população portuguesa visando a análise do potencial crítico da população sobre as diversas temáticas da bioética e das ciências da vida. Posteriormente, e também em função dos resultados do inquérito, propõem-se estudos de recepção dos diversos públicos em Portugal para obter dados acerca do modo como as informações circulam na interacção entre os públicos e diversos media. De seguida, devem-se desenvolver estratégias e ferramentas para a comunicação da ciência e participação do público em questões que podem afectar directa ou indirectamente as suas vivências. As estratégias a desenvolver incluirão sempre ferramentas multimédia a serem criadas no âmbito do projecto.


Publicação de artigo

dezembro 10, 2008

Este mês foi publicado um artigo meu no periódico eletrônico da Obercom (OBS*).
Chama-se Comunicação, medicina e evolucionismo: estudo de caso dos media brasileiros

Abaixo, o resumo em português e em inglês e o link para o artigo.

Comunicação, medicina e evolucionismo: estudo de caso dos media brasileiros

Resumo

O objectivo deste trabalho é discutir acerca da noção de intelectual-jornalista no campo científico a partir de um estudo de caso dos media brasileiros. Com este conceito, Bourdieu se referia ao papel dos críticos e avaliadores que julgam produtos culturais diversos e lhes dão maior ou menor evidência nos veículos de comunicação. Contudo, o termo parece não restringir-se ao campo de produção cultural e, no Brasil, pode ser observado também na área biomédica. No caso em estudo, Dráuzio Varella tem função de médico e jornalista ao mesmo tempo. Enquanto médico-jornalista, ele reveste-se de seu direito de expressão, mediática e cientificamente reconhecido, e, no entanto, faz uso de um discurso não científico, repleto de metáforas, certezas e juízos de valor, ou seja, cientificamente desqualificado, mas, ainda assim, estatutário. A importância de Varella deu-se no meu doutorado em pesquisa sobre o nexo obesidade/pobreza no jornal brasileiro “Folha de São Paulo”. Enquanto intelectual-jornalista, o médico ratifica certa ‘ordem estabelecida’: ele sempre fala segundo um ponto de vista radicalmente evolucionista. No âmbito da obesidade/pobreza, seu discurso enfatiza a noção de obesidade como anacronismo biológico e conduz à naturalização e medicalização da pobreza, na medida em que também aponta para a noção de darwinismo social.

Communication, medicine and evolucionism: case study from Brazilian newspaper

Abstract

This work discuss about the notion of intellectual-journalist in the scientific field in a case study from Brazilian newspaper. With this concept, Bourdieu refers to the role of critics and evaluators judging cultural products and giving them more or less evidence in mass media communication. However, the term does not seem to be restricted to the field of cultural production and, in Brazil, can be seen also in the biomedical area. In the case under study, Dráuzio Varella plays the role of doctor and journalist at the same time. While doctor-journalist he has the right of expression journalistic and scientifically recognized, and yet he makes use of a not scientific discourse, full of metaphors, certainties and judgments, i.e. scientifically disqualified, but nevertheless statutory. The importance of Varella appeared on my doctoral study about obesity/poverty nexus in the Brazilian newspaper “Folha de São Paulo”. As intellectual-journalist, the doctor ratifies certain ‘established order’: he always speaks in a radically evolucionist point of view. As part of the obesity/poverty, his speech emphasizes the notion of obesity as biological anachronism and leads to naturalization and medicalization of poverty, in that it also points to the concept of social darwinism.


Metodologias de investigação em comunicação: duas lições

setembro 10, 2008

O Portal de la Comunicación, da Universidade Autónoma de Barcelona, tem duas aulas sobre metodologias de investigação em comunicação. Seguem os links para ambas:

De la medición de la audiencia al conocimiento de los públicos, de Amparo Huertas

Las nuevas reglas de la etnografía de la comunicación, de Jaume Soriano


Ciência em questão

agosto 29, 2008

As the twentieth century drew to a close, the connection between hard scientific fact and public policy became increasingly elastic. In part this was possible because of the complacency of the scientific profession; in part because of the lack of good science education among the public; in part, because of the rise of specialized advocacy groups which have been enormously effective in getting publicity and shaping policy; and in great part because of the decline of the media as an independent assessor of fact. The deterioration of the American media is dire loss for our country. When distinguished institutions like the New York Times can no longer differentiate between factual content and editorial opinion, but rather mix both freely on their front page, then who will hold anyone to a higher standard?

In ALIENS CAUSE GLOBAL WARMING, By Michael Crichton [January 17, 2003]; an historical approach detailing how over the last thirty years scientists have begun to intermingle scientific and political claims.

Leia artigo completo


Educar X Informar

agosto 1, 2008

Sobre as relações entre media e ciência há uma interessante discussão no blog científico A blog around the clock acerca de To Educate vs. To Inform.

As relações entre jornalistas e cientistas costumam ser bastante tensas. Contudo parece haver certa confusão acerca do papel dos jornalistas no tocante à informação científica. Os media podem ser ferramentas muito úteis à divulgação e até mesmo no planejamento educativo acerca das ciências. Contudo, o papel dos jornalistas não é educar as massas, mas informar.